Terça-feira, 25 de Junho de 2019 Pesquisa no site
 
A OBORÉ
  Abertura
  Histórico
  Missão
  Frentes de Trabalho
  Parceiros
  Prêmios
  Fale Conosco
  Galeria de Fotos
Núcleo de Rádio
Núcleo de Cursos
Núcleo de Gestão da Informação
Notícias
Atividades Especiais
  8° Curso sobre Jornalismo em Situações de Conflito Armado recebe Adriana Carranca neste sábado, 26 de setembro

  25/09/2009


 
PROJETO REPÓRTER DO FUTURO
8º Curso de Informação sobre Jornalismo  em Situações de Conflito Armado
e outras Formas  de Violência




Organização
Comitê Internacional da Cruz Vermelha – CICV
Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo – Abraji
OBORÉ

Co-patrocínio
Sindicato dos Professores de São Paulo – SINPRO-SP

Apoio
Matilha Cultural
Hospital Premier
TV USP
TV Mackenzie
Canal Universitário de S. Paulo 
TV Aberta / Canal Comunitário de São Paulo
Cátedra Unesco de Comunicação
Cursos de Jornalismo da USP, PUC, Mackenzie, Metodista e Cásper Líbero

Calendário
1º a 20 de agosto - Inscrições
22 de agosto, sábado, 9h – Encontro de Seleção
29 de agosto, sábado – Divulgação dos aprovados
19, 26 de setembro; 3, 17 de outubro, sábados, 9h - Conferências de Imprensa / Entrevistas Coletivas
14 de novembro, sábado, 9 horas - Avaliação, entrega de Certificados e Reembolsa
.

Programação

19 de setembro
Michel Minnig, chefe da Delegação do CICV para o Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai, e Gabriel Valladares, assessor jurídico do CICV, sobre o trabalho da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho em situações de conflito armado e outras situações de violência.

26 de setembro
Adriana Carranca, diretora da Abraji e repórter especial do jornal O Estado de S. Paulo, sobre a cobertura da imprensa brasileira sobre conflitos armados e outras situações de violência.

3 de outubro
Coronel André Vianna, da reserva da Polícia Militar de São Paulo, sobre as normas internacionais aplicáveis à função policial no uso da força e de armas de fogo.

17 de outubro
Coronel Gerson Pinheiro Gomes, Oficial de Comunicação Social do Batalhão Brasileiro no Haiti, sobre a relação das Forças Armadas com a imprensa durante as operações de paz.    

14 de novembro
   
Avaliação, entrega de Certificados e Reembolsas     


Mais informações
OBORÉ Projetos Especiais
Rua Rego Freitas, 454, 8º andar, Vila Buarque, S. Paulo
(Perto da Estação República do Metrô e da Igreja da Consolação)
Tel. 3214.3766  Fax. 3214.3863
reporterdofuturo@obore.com


Saiba mais 

Repórter do Futuro: um projeto de formação

Criado em 1994, o Repórter do Futuro oferece alternativas de auto-desenvolvimento e incentivo às carreiras dos estudantes que efetivamente desejam ser bons jornalistas. São Cursos de Complementação Universitária que mostram ser possível contribuir, desde já, para o desenvolvimento da sensibilidade, empenho, criatividade e capacidade de realização dos estudantes. Através de palestras seguidas de entrevistas coletivas, os cursos buscam estimular  a reportagem e a prática reflexiva no Jornalismo. O projeto conta com a presença, trabalho, idéias e sugestões dos integrantes de seus Conselhos Universitário e de Orientação Profissional.

Oferecido a cada semestre para, no máximo, 20 alunos por turma, o Repórter do Futuro é uma das três frentes do Núcleo de Cursos da OBORÉ, ao lado de “Capacitação de Comunicadores” (voltado a comunicadores populares) e “Capacitação de Profissionais” (promovendo encontros e palestras para profissionais em geral). Os cursos são gratuitos e, para realizá-los, a OBORÉ faz parcerias com instituições que acreditam na importância dessa proposta. Com as parceiras, é modulado o conteúdo do curso, desde que sejam trabalhadas temáticas relevantes para a formação de profissionais da comunicação.

Nesses 15 anos, o Repórter do Futuro desenvolveu uma metodologia própria através de Conferências de Imprensa seguidas de Entrevistas Coletivas. Ao final, há sempre a proposta de produção jornalística (impressa, radiofônica, televisiva ou multimídia), com foco na prática reflexiva de cada participante - e não simplesmente na aplicação de técnicas.

Para medir o empenho real de cada participante, o  projeto considera o critério da “Reembolsa”: os alunos se comprometem a pagar o curso ao se inscreverem, mas, se assistirem a todas as aulas, produzirem todas as matérias solicitadas e conseguirem publicar  ao menos uma delas, em qualquer veículo de comunicação que tenha um editor responsável, recebem o seu dinheiro de volta.

Na última década, a média de inscrições nos cursos tem sido de 200 estudantes por módulo disputando 20 vagas. São apenas dois módulos por semestre. Invariavelmente, as Reembolsas efetuadas superam 90%. 

Qualidade e competência para o jornalismo
 
A implantação de um projeto voltado a estudantes e recém-formados em jornalismo, em 1994, estava relacionada a uma série de fatores: a ausência de veículos laboratoriais na maioria das escolas, o desaparecimento dos jornais alternativos (que acabavam funcionando como verdadeiras redações orgânicas) e a falta de contato sistemático, nas grandes redações, entre estudantes e profissionais mais experientes com índole de repassar conhecimento às novas gerações.

Importante destacar que esses profissionais experientes estavam e estão marginalizados na possibilidade de serem professores regulares nos cursos de jornalismo, já que é pré-condição para ministrar aulas ostentar títulos acadêmicos de mestrado e doutorado. Como a grande maioria desses grandes profissionais não quis ou não pode seguir os ritos da vida acadêmica e não dispunha nem dispõe, pela natureza de seu trabalho, de agenda que permita assumir compromissos regulares com ensino formal, resultou que ‘grandes professores de jornalismo’ não podem manter contato regular com as novas gerações em salas de aula. 

Conhecendo essas dificuldades, mas também sabendo a importância de ajudar na qualificação dos futuros profissionais de imprensa do nosso país, o Projeto Repórter do Futuro nasceu como resposta ao anseio de muitos alunos e professores empenhados em conquistar um outro padrão de qualidade e competência, ou seja: possibilidade do contato regular com os grandes profissionais da imprensa, com grandes políticos e estadistas, artistas, pesquisadores e  profissionais de destaque em suas áreas de atuação.

Década e meia mais tarde, esses problemas se potencializam e uma nova moldura social,  política, econômica, cultural e tecnológica passa a abarcar as discussões sobre o fazer jornalístico contemporâneo.   Entram em cena as novas mídias, fruto da dinamicidade e confluência tecnológicas. Entretanto, velhas questões continuam sem respostas.  Colaborar na construção dessas novas respostas através de espaços multidisciplinares experimentais - como a que este Projeto se propõe - é a principal ação que tem mobilizado e estimulado, continuamente, estudantes de comunicação a participarem do Projeto Repórter do Futuro e produzirem, de forma crítica e reflexiva, conteúdos jornalísticos para as diversas mídias que têm convivido nos mais variados espaços midiáticos colaborativos da atualidade.

O projeto concebe-se, também, como um ‘campo de provas’ que pode ser considerado como referência e estímulo a experiências análogas em qualquer região do país.  

Temas importantes e fontes qualificadas 

Os módulos temáticos procuram abordar assuntos bastante variados entre si, desde questões teóricas e práticas ligadas ao ofício do jornalismo que passam, por exemplo, pelas estruturas da reportagem, pelos conceitos da produção do texto jornalístico e pelas discussões dos princípios éticos envolvidos na carreira. Mas também apontam para os grandes temas sociais, políticos, culturais e econômicos ao discutir quais são os grandes problemas do Brasil e das grandes cidades e quais são as fontes mais importantes – portanto, qualificadas – que podem auxiliar na compreensão da complexidade desses temas. Outra temática recorrente é a do Direito Internacional Humanitário, conceito que precisa ser aclareado, principalmente junto aos atuais e futuros jornalistas para que se possam entender a nova geografia do poder no mundo contemporâneo. 

Desde sua criação, o Projeto conta com dois Conselhos - Universitário e Orientação Profissional -  constituídos por nomes destacados no ensino, pesquisa e  prática do jornalismo no Brasil como, entre outros, José Marques de Melo, Carlos Vogt, Manuel Carlos Chaparro, Audálio Dantas, Aloísio Biondi (in memorian), Marcio Pochmann, Marcio Schiavo, Clóvis Rossi, José Hamilton Ribeiro, José Luiz Del Roio, José Maria Mayrink, Heródoto Barbeiro, J.B. Natali, Laerte Coutinho, Lourenço Diaféria (in memorian), Luis Nassif, Caco Barcellos, Sergio Buarque de Gusmão, Sergio Groissman, Juca Kfouri, José Coelho Sobrinho, Wladyr Nader, Sergio Pinto de Almeida, Gilberto Maringoni, Jorge Claudio Ribeiro, Ricardo Viveiros e Celso Napolitano.

Conta atualmente com uma Coordenação Geral compartilhada por representantes das entidades e instituições parceiras na promoção dos cursos modulados: OBORÉ Projetos Especiais em Comunicações e Artes, ABI – Associação Brasileira de Imprensa / Representação em São Paulo, Cátedra UNESCO de Comunicação para o Desenvolvimento, CICV – Comitê Internacional da Cruz Vermelha, ABRAJI – Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo, IEA – Instituto de Estudos Avançados da USP, ISA – Instituto Socioambiental, CCOMSEx – Centro de Comunicação Social do Exército, SINPRO/SP – Sindicato dos Professores de São Paulo, FEPESP – Federação dos Professores do Estado de São Paulo, e os principais Cursos de Jornalismo de São Paulo: Departamento de Jornalismo e Editoração da ECA/USP, Centro de Comunicação e Letras da Universidade Presbiteriana Mackenzie, Faculdade de Comunicação e Filosofia da PUC/SP, Curso de Jornalismo da Fundação Cásper Líbero e Curso de Jornalismo da Universidade Metodista de São Paulo.

E conta também com equipes de Coordenação Pedagógica, Executiva e Apoio Técnico, comandadas pelos jornalistas Sergio Gomes, diretor da OBORÉ, e Pedro Ortiz, diretor geral da TV USP e do Canal Universitário de São Paulo (CNU).


Site Laboratório

Concebido como espaço exclusivo para as coberturas multimídias e demais produções de conteúdo jornalístico dos futuros repórteres, o site laboratório é de grande relevância para os objetivos pedagógicos do Repórter do Futuro. Por seu caráter didático e experimental, o site procura responder aos desafios do aprendizado pela prática reflexiva e colaborar na construção de espaços multidisciplinares voltados à criação, aplicação, experimentação e avaliação crítica de conteúdos jornalísticos concebidos dentro dos atuais conceitos aplicados às redes sociais colaborativas.  Opera diariamente durante a semana, mantendo-se online (24/7). Concentra suas atualizações durante os períodos de curso e, principalmente, nas atividades laboratoriais.

Seu objetivo é colaborar com o aprendizado do jornalismo através da prática reflexiva e construção de espaços multidisciplinares voltados à criação, aplicação, experimentação e avaliação crítica de conteúdos concebidos dentro dos atuais conceitos aplicados às redes sociais de colaboração a partir de ações de formação que estimulem a produção de conteúdos jornalísticos.  

Veja também
       
http://www.reporterdofuturo.com.br
http://reporterdofuturo.podomatic.com/
http://www.flickr.com/photos/reporterdofuturo/
http://www.youtube.com/user/prdofuturo
http://www.twitter.com/reporterdofuturo


Lista dos aprovados dibulgada em 29 de agosto

A Banca Julgadora dos  testes de seleção dos 114 estudantes candidatos ao 8º Curso de Informação sobre Jornalismo em Situações de Conflito Armado e outras Situações de Violência, módulo do Projeto Repórter do Futuro, concluiu, após 4 dias de intenso e criterioso trabalho, sua lista de aprovados:
ALEXANDRE DE OLIVEIRA SACONI 
ANDRÉ CRUZ DE MELO 
BRUNA GAMBALE BORGES 
CAMILA SOUZA RAMOS
DANIEL NOGUEIRA PEREIRA 
GIOVANA MORAES SUZIN 
GUSTAVO SILVEIRA CORRÊA DA SILVA 
JULIANA SILVA SAKAE
KÍVIA MENDONÇA COSTA 
LEANDRO MELITO FERREIRA 
LUIZ GUILHERME BERNARDES RAMOS 
LUIZ GUSTAVO PACETE DE LIMA 
MANOELA MEYER SOARES DE FREITAS
MANUELA ANDREONI
MAX FISCHER 
PATRÍCIA MEDEIROS DE OLIVEIRA
PEDRO SANTOS
RAFAEL DE QUEIRÓS CISCATI 
SILVIO RICARDO SILVA CASCIONE
TATIANA DE FÁTIMA VICENTE MELIM
THAÍS TADDEI HARARI 

Os aprovados devem escrever para reporterdofuturo@obore.com  até terça-feira, 1º de setembro , às 14 horas, confirmando interesse na vaga .
Em seguida, a Secretaria Executiva do Projeto Repórter do Futuro fará contato com cada estudante para informar os procedimentos de matrícula e critérios para obtenção de Reembolsa.

Caso algum dos aprovados não venha a manifestar-se dentro desse prazo , sua vaga será oferecida ao primeiro da Lista de Espera.

Os interessados em acompanhar o 8º Curso na condição de Observadores também deverão dirigir-se ao reporterdofuturo@obore.com 


 
 
 
   
  » Indique essa página a um amigo
 
 
 
Avenida Paulista, 2300 | Andar Pilotis | Edifício São Luis Gonzaga | 01310-300
São Paulo | SP | Brasil | 55 11 2847.4567 | (11) 99320.0068 |
obore@obore.com

Desenvolvimento

KBR Tec - Soluções Online