26/02/2020

Rodas de Conversa do Prêmio Vladimir Herzog são tema de dissertação de mestrado

As Rodas de Conversa do Prêmio Jornalístico Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos de Anistia e Direitos Humanos datam de 2012, tendo chegado em sua 8ª edição em 2019, quando o prêmio em si completou 41 anos. Elas existem para promover o aprendizado do fazer jornalístico, com os repórteres premiados compartilhando suas experiências amplamente. Pelo caráter educacional, foram estudadas por Aldo Quiroga, editor-chefe da TV Cultura e professor da PUC, que buscou em sua dissertação de mestrado estabelecer um panorama das estratégias para a cobertura jornalística de direitos humanos no Brasil.

Aldo partiu das teorias do pesquisador A. J. Greimas sobre Semiótica Discursiva para analisar os relatos dos participantes das rodas e uma série de reportagens premiadas. Sua intenção era entender os mecanismos e conflitos – em especial, conflitos entre os destinadores, ou seja, repórter e jornal – do processo de produção de uma pauta, o que inclui seu surgimento, a aprovação pelo veículo, a destinação de recursos para a apuração e os demais desafios dos repórteres.

Como a temática de direitos humanos é complexa e envolve agentes vulneráveis – Aldo escreve em um dos capítulos finais que o jornalista deve dar espaço à voz desses agentes, e não dar voz, porque isso todos têm –, muitas questões estão envolvidas. A materialização dessas questões em uma série específica de reportagens fez com que ela fosse escolhida como a base para a pesquisa. É a série Terra Bruta.

Terra Bruta foi publicada em 2016 pelo jornal Estado de São Paulo, dos dias 10 a 17 de julho. Fala sobre os conflitos de terra, tão comuns no Brasil, e a violência em que implicam. A escolha desse conjunto de reportagens como corpus está relacionada ao fato de terem sido veiculadas pelo Estadão, jornal com histórico ligado aos proprietários de terra paulistas e cujo público atual é sensível a questões relacionadas. Assim, são matérias nas quais as contradições entre a temática e os valores do jornal estiveram latentes. Além disso, são de muita qualidade, o que é confirmado pelo Prêmio Vladimir Herzog que ganharam ainda em 2016.

Em sua dissertação, Aldo Quiroga, que também é organizador e apresentador das Rodas, fala sobre a relação entre democracia e imprensa e o marco que o Prêmio Vladimir Herzog representa. Depois, passa para a análise, onde busca entender as polêmicas nos conflitos entre destinadores e contradições, evidenciando os elementos de superação desses a fim de auxiliar no ensino da prática do jornalismo e na ampliação desse tipo de cobertura.

A dissertação foi apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Semiótica da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e contou com a orientação da Prof. Dra. Ana Claudia Mei Alves de Oliveira. O Prof. Dr. Júlio Wainer, professor da PUC e diretor da TV PUC, e a Dra. Ana Luísa Zaniboni Gomes, pesquisadora, diretora da Oboré e curadora do Prêmio Vladimir Herzog, compuseram a banca avaliadora.

Mais sobre as Rodas de Conversa

As Rodas de Conversa acontecem durante a tarde, antes da premiação, e duram cerca de 3 horas. Os vencedores ficam organizados, literalmente, em roda. Os apresentadores ficam no centro do palco e conversam com cada repórter, um a um, questionando sobre as especificidades de suas matérias.

8ª Roda de Conversa do Prêmio Vladimir Herzog de Jornalismo e Direitos Humanos. [Imagem: Instituto Vladimir Herzog]

O logotipo do evento, desenhado por Laerte, fala bastante sobre a proposta dele. É um cisne que nada com feição tranquila. Porém, por debaixo das águas, pode-se ver toda uma “engenhoca” bastante complexa, que denota que o animal, na verdade, está trabalhando bastante para se manter ativo.

Essa é uma referência ao trabalho do repórter: como o público só tem contato com o produto final, bem apurado, bem construído e didático, pode parecer que o processo é mais fácil do que realmente é. Porém, na verdade, existe muito esforço por debaixo disso tudo, e as rodas vêm para justamente para mostrar todo o complexo processo escondido.

Logotipo, feito pela artista Laerte, das Rodas de Conversa do Prêmio de Jornalismo e Direitos Humanos Vladimir Herzog.

Todas as rodas já realizadas estão disponíveis no Youtube e podem ser encontradas aqui.