13/05/2019

Projeto Repórter do Futuro discute micromobilidade

No último sábado, 11 de maio, aconteceu a quinta e última conferência do 12º curso "Descobrir São Paulo, Descobrir-se Repórter", módulo do Projeto Repórter do Futuro. O encontro em que foi tratado o tema “micromobilidade” com o vereador Police Neto aconteceu na Sala Oscar Pedroso Horta, na Câmara Municipal de São Paulo.

Ex-presidente da Câmara, Police é graduado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de São Carlos – UFScar, está em seu quarto mandato como vereador e é um dos responsáveis pela parceria entre OBORÉ e a Escola do Parlamento.

Police Neto atua em assuntos urbanísticos da cidade de São Paulo. Foto: Augusto Godoy/OBORÉ.

Rodoviarismo e o pedestre

De partida, Police realizou uma leitura da formação dos atuais sistemas de transporte da capital paulistana, pontuando principalmente a criação em larga escala de rodovias durante a segunda metade do século XX no Brasil.

Em São Paulo, a preferência pelo rodoviarismo é evidenciada pela criação de vias exclusivas para carros, como a Ponte Octávio Frias de Oliveira, mesmo que 31% das viagens do paulistano sejam realizadas a pé e 32% em bicicleta.

Outro exemplo é a Companhia de Engenharia de Tráfego – CET, criada em 1976, que exerce a função de garantir a fluidez no trânsito. Sua atuação não prioriza o melhor deslocamento do pedestre ou do ciclista, mas sim do veículo motorizado.

O resultado desta lógica é conhecido. A capital paulistana possui mais de sete veículos a cada dez habitantes, são mais de 8 milhões de carros, motos, ônibus e caminhões que se aglomeram pela cidade, criando um fenômeno de trânsito diferente de qualquer outro no país.

“As pessoas acharam que seria possível uma cidade onde todos andam de carro”, pontuou Police.

Para o vereador, os pedestres são maioria na pirâmide invertida da mobilidade, fato que o motivou a elaborar em 2013, junto com organizações da sociedade civil como ANTP, Idec, Cidadeapé, Corrida Amiga e SampaPé, o Estatuto do Pedestre.

O Estatuto virou Lei (16.673) em 13 de junho de 2017 e coloca o pedestre no centro da elaboração de políticas públicas de mobilidade. Entre os principais pontos estão: a criação de um sistema de informações, com reunião e coleta de dados, e a determinação da aplicação de recursos do Fundurb e de parte das verbas de Operações Urbanas e Concessões Urbanas.

Para o vereador, as ineficiências do transporte público atual resultam da pouca oferta de modelos alternativos. Foto: Augusto Godoy/OBORÉ.

Micromobilidade e os EMIAs

A previsão para 2030 é de que 60% das pessoas do planeta estejam inseridas em centros urbanos, o que causaria um colapso ainda maior no sistema de transporte urbano das grandes capitais. Uma das alternativas citadas pelo vereador é o deslocamento através de transportes individuais alternativos.

As bicicletas, e-bikes, patinetes e os Equipamentos de Mobilidade Individual Autopropelidos – EMIAs “expandem as opções de transporte, permitem um estilo de vida livre de carros, substituem viagens curtas, complementam o transporte público, reduzem a poluição do ar e sonora, impactam nos serviços de delivery e reduzem o número de acidentes”.

Regulamentados pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia – Inmetro e a Agência Nacional de Telecomunicações – Anatel, os EMIAs possuem pouco tempo de atuação e estudo aprofundado no Brasil.

A estimativa de equipamentos compartilhados (bicicletas e patinetes) nas ruas da cidade no fim de 2019 supera as 24 mil unidades. Para tal cenário, é extremamente necessário a elaboração de políticas públicas voltadas para este segmento.

“É um trabalho que deve ser realizado entre o Poder Público e as OTTCs (Operadoras de Tecnologia de Transporte Credenciadas) para viabilizar atendimento a todos, multimodalidades, infraestrutura apropriada, produtos certificados e capacidade econômica e financeira”, afirmou Police.

Um debate por esta regulamentação, iniciado em agosto de 2018 por empresas do setor e da Iniciativa Bloomberg para Segurança Global no Trânsito, resultou em um protocolo de intenções para discutir e auxiliar a elaboração de regras. Resultado disto é o Projeto de Lei 01/2019 em que se cria o Sistema de Micromobilidade Compartilhada e institui diretrizes para uma Rede Integrada de Micromobilidade.



Passeio pelo centro

Após o fim da atividade, Police Neto conduziu os estudantes para um passeio pelo centro de São Paulo em bicicletas e patinetes elétricos. O itinerário incluiu desde os arredores da Câmara até a praça da Sé, a avenida Ipiranga e a galeria do Rock.

SAIBA MAIS

Programação | 12º curso “Descobrir São Paulo, Descobrir-se Repórter”
 
Coordenadores pedagógicos: Ronald Sclavi, jornalista e professor universitário, e Sergio Gomes, jornalista e diretor da OBORÉ

6 DE ABRIL, SÁBADO
9-11H | SALA OSCAR PEDROSO HORTA DA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO 
TEMA: SÃO PAULO, UM BANCO DE PAUTAS
Convidado: Marcelo Soares
Jornalista e professor, foi um dos pioneiros a trabalhar com "Reportagem com o Auxílio do Computador" no Brasil, hoje chamado Jornalismo de Dados. Integra a coordenação do PRF.
 
Confira como foi, clique aqui.

11H – 12 | PRAÇA MEMORIAL VLADIMIR HERZOG
Comemoração ao Dia do Jornalista e inauguração da réplica em alumínio do troféu Prêmio Vladimir Herzog, de Elifas Andreato.  

Confira como foi, clique aqui.

13 DE ABRIL, SÁBADO
9-13H | SALA OSCAR PEDROSO HORTA
TEMA: SAÚDE
Convidado: Marco Antonio Manfredini
Graduado em Odontologia, é doutor em Saúde Pública e pesquisador na área de Saúde Bucal Coletiva e Odontologia Social e Preventiva. Integra a diretoria do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP,  gestão 2019-2021). Atua como consultor nas áreas de Formação de Recursos Humanos, Planejamento e Programação em Saúde, Apoio à Gestão Regional, Modalidades de Gestão e Saúde da Família.
 
Confira como foi, clique aqui.
 
13 – 15H | PASSEIO
FERRAMENTAS DE OBSERVAÇÃO PARA COMPREENDER E REPORTAR O ESPAÇO URBANO.
Roteiro: Edifício Esther, Edifício e Galeria Metrópole, Edifício Eiffel, Edifício Itália, Copan, galeria Metrópolis e Grandes Galerias (Galeria do Rock).
Coordenação: Marcelo Rainho.
Jornalista (PUC-SP), fez o curso do Projeto Repórter do Futuro em 1996. Desenvolveu a carreira na direção de arte trabalhando em publicações como Arquitetura e Construção, Casa Claudia, Vogue, Playboy, seLecT, entre outras. Ministrou aulas de design no IED (Istituto Europeo di Design) de São Paulo e do Rio de Janeiro. Contribui na fundação e coordenou a casa seLecT, espaço de cursos e eventos da revista seLecT. Cultiva a experiência de flanar por São Paulo, o que rendeu o perfil no instagram: @arteculturasp, um roteiro cultural da cidade.
 
Confira como foi, clique aqui.

27 DE ABRIL, SÁBADO
9-13H | SALA OSCAR PEDROSO HORTA
TEMA: EMPREGO/DESEMPREGO
Convidado: Clemente Ganz Lúcio
Sociólogo e professor universitário. Atua como diretor técnico do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos - DIEESE desde 2004. É membro do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social da Presidência da República (CDES) e do Conselho de Administração do Centro de Altos Estudos Brasil Século XXI.

Confira como foi, clique aqui.

4  DE MAIO, SÁBADO
9-13H | SALA OSCAR PEDROSO HORTA
TEMA: VIOLÊNCIA
Convidado: Bruno Paes Manso
Economista e jornalista, é doutor em ciência política e pesquisador do Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo – NEV/ USP. Suas pesquisas referem-se a temas como homicídios, confiança institucional e legitimidade. É pesquisador-pleno do grupo de pesquisa Jornalismo, Direito e Liberdade, ligado à Escola de Comunicação e Artes (USP) e ao Instituto de Estudos Avançados (USP).

Confira como foi, clique aqui.

11 DE MAIO, SÁBADO
9-13H | SALA OSCAR PEDROSO HORTA
TEMA: MOBILIDADE
Convidado: José Police Neto
Formado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de São Carlos - UFSCar. Iniciou sua carreira no ambiente público aos 21 anos, trabalhando na Assembleia Legislativa de São Paulo como assessor parlamentar e chefe de gabinete. Está em seu quarto mandato como vereador na cidade de São Paulo. Atua intensamente nos assuntos que dizem respeito à qualidade urbanística na cidade de São Paulo, principalmente nas áreas de mobilidade, habitação, revitalização dos espaços públicos e planejamento urbano.

MAIO E JUNHO = OPERAÇÃO PONTO FINAL 

29 DE JUNHO, SÁBADO
9-13H | UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI (SALA 631), COMO PARTE DA PROGRAMAÇÃO DO 14º CONGRESSO INTERNACIONAL DE JORNALISMO INVESTIGATIVO

FEIRA DE AMOSTRAS DA OPERAÇÃO PONTO FINAL
AVALIAÇÃO + DIPLOMAÇÃO + ENCERRAMENTO